dezembro-laranja

Dezembro Laranja

03 dez 2016

Chegou o “Dezembro Laranja”, uma campanha nacional de prevenção ao câncer de pele promovido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), que visa conscientizar os brasileiros sobre os cuidados com a pele, principalmente no verão, que começa este mês.O câncer da pele é o tipo mais comum entre os brasileiros: representa mais da metade dos diagnósticos e 25% dos tumores malignos registrados no País. A estimativa é de mais de 175 mil casos da doença em 2016, sendo 80 mil homens e 95 mil mulheres, um número que preocupa os especialistas e coloca a incidência do câncer da pele, entre as maiores ocorrências, ao lado do câncer de próstata e de mama. Existem três tipos de câncer de pele, sendo o melanoma o mais agressivo dos tumores, com 15% dos casos diagnosticados.

Calor, sol, praia e, claro, saúde!
A exposição ao sol de forma inadequada, seja na praia ou na cidade, pode ser prejudicial à saúde. Segundo pesquisa da SBD, 62% da população não aplica o filtro solar, uma prática que pode provocar além do câncer da pele, outras lesões cutâneas como manchas, sardas, melanoses, vermelhidão, rugas e até o envelhecimento precoce, principalmente em pessoas jovens e de pele muito clara. Tomar sol faz parte da cultura do brasileiro que apesar dos alertas, é descuidado com a saúde da pele e, na maioria das vezes, pensa apenas na estética, no prazer e no bem-estar que o bronzeado proporciona, inspirado por milhares de opções de lazer e mais de sete mil quilômetros de praias.

Como se prevenir do câncer de pele
Segundo os dermatologistas, a maioria dos casos de câncer de pele podem ser evitados, basta colocar em prática atitudes simples, como uso regular de filtro solar, diminuição dos períodos de exposição ao sol e uso de roupas adequadas para proteger partes do corpo que normalmente ficam expostas à radiação solar. Os raios solares, chamados de raios ultravioleta, penetram e danificam as camadas da pele provocando as lesões, que dependendo da idade e da frequência na exposição ao sol, são cumulativos no organismo, aumentando a possibilidade de ocorrer problemas de pele e tumores malignos. Portanto, cuidado com o sol!

Fatores de risco
A recomendação vale para todas as idades, principalmente adultos. Os tumores cutâneos costumam surgir a partir dos 40 anos e dependem de fatores genéticos e dos hábitos de cada pessoa, principalmente, exposição excessiva ao sol. No entanto, a incidência deste tipo de câncer é maior em indivíduos de pele muito clara. Os indivíduos negros e afrodescendentes têm menos riscos de desenvolver câncer de pele, porque a doença está associada à produção de melanina — pigmento que dá cor e protege a pele —, que é maior nestes grupos. Por isto, quando desenvolvem o câncer, os tumores geralmente se localizam na palma das mãos e na planta dos pés. Portanto, todos precisam se cuidar, sem exceção, e consultar o dermatologista.

Sinais e sintomas do câncer da pele
Assim como outros órgãos e partes do corpo, a pele precisa de atenção e cuidados especiais. A pessoa deve ficar atenta em todos os sinais e procurar atendimento especializado assim que notar alguma coisa diferente. No caso do câncer de pele a doença pode se manifestar na forma de feridas, eczemas ou pintas pelo corpo. Se você notar, por exemplo, uma ferida com aparência brilhante, com crosta central; colorida, avermelhada, castanha ou rósea; que sangra facilmente e não cicatriza; provoca dor ou coceira; cresce de tamanho e é irregular nas bordas, consulte o dermatologista para tirar dúvidas e prescrever o tratamento adequado.

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)
Instituto Nacional do Câncer (INCA)

COMENTÁRIOS